domingo, novembro 25, 2012

Xarpi comemora 2 anos de existência com “Kev Brown” na maior Favela da América Latina...


Ele é cria de Maryland, Washington - USA  e um dos mais competentes beatmakers e produtores no ramo underground da atualidade... 

Mas sua competência não vem de ontem. Além de já ter trabalhado com nomes importantes do Hip-Hop internacional como “De La Soul”, “Jay-Z” e “Busta Rhymes”; isto sem falar na sua iniciação áurea ao lado de dinossauros como “DJ Jazzy Jeff”, “Pete Rock” e “Large Professor”. Ele também é rapper e tem seu espaço consagrado no meio underground do gênero.

Caros irmãos, eu me refiro a pessoa do extraordinário “Kev Brown”, que no dia 08 de dezembro será a atração principal da festa dos 2 anos da multimarca “Xarpi”, que comemora sua existência com grande estilo em parceria com a  “West Coast”, uma das festas mais consagradas festas do Hip-Hop Carioca.

Além de Kev Brown, “Sombra” do grupo paulistano SNJ estará fazendo as considerações de boas-vindas ao rapper americano ao lado dos cariocas “El Tosh”, “U-Flow”, entre outros..., tendo o GRES Acadêmicos da Rocinha como palco desta grande celebração...

Vida Longa à Xarpi!

Paz e Respeito!

DJ “Zulu” TR.



Festa de 2 anos da Xarpi
Dia 08/DEZ (Sábado) – 22h
GRES Acadêmicos da Rocinha - Rua Berta Lutz, 80 – São Conrado  

Atração principal “Kev Brown”
Atração nacional “Sombra” (SNJ)

:: MARÉ MARTIN ( I Love Tattoo )
:: EL TOSH & DJ LULINHA 
part.: AUTENTICLAN
:: U - FLOW 
:: TAZ MUREB
:: NOGRAU 

Mestre de Cerimônia : DOUGLAS SILVA

::: DJ'S 

CELO (Sandrão RZO)
FLAVIA XEXEO (Jovem Pan)
SADDAM (Transamérica)
D-RYDER (SouthSide)
MUSSUM
LP 


:: VJ EDUARDO
com os melhores vídeos de arte urbana 

:: GRAFFITI AO VIVO
EMA

:: MURAL XARPI + SORTEIO DE TINTAS MONTANA, TELAS E CAMISAS


venda online : www.ingressomais.com.br

PISTA
1ºLOTE | R$ 20
2ºLOTE | R$ 30 
3º LOTE | R$ 40

VIP
1ºLOTE | R$ 50
2ºLOTE | R$ 60
3ºLOTE | R$ 70


CAMAROTE (p/ 10 pessoas)
BIG APPLE + 6 Red Bull | R$800
VODKA SMIRNOFF + 6 Red Bull | R$850
WHISKY RED LABEL + 6 Red Bull | R$900

Contato : (21) 6917-2888 Kel / (21) 9189-1259 Bruno

PONTOS DE VENDA :

--------------------
LOJAS SOUTH – http://www.gruposouth.com.br/
--------------------


Zulu Nation Rio de Janeiro fecha parcerias com a Primeira Igreja Batista do Rio Comprido...


Queridos amigos (Zulu Nation Rio de Janeiro),

Estou enviando o convite da minha posse na Primeira Igreja Batista do Rio Comprido. Essa Igreja tem uma história, mas  no Momento suas atividades estão reduzidas a 5 pessoas, não tem jovens nem crianças.

Estou vendo essa oportunidade como um desafio que penso ser capaz de levar a diante, necessito de sua ajuda com idéias projetos Sociais, culturais e educacionais, para que possamos implantar nessa comunidade.

Essa igreja fica no Morro dos Prazeres no Rio Comprido, posso contar com vocês?

Pr. João Carlos Araujo





segunda-feira, novembro 19, 2012

O AXÉ DO 20...


Fonte: Quilombhoje.com.br 

A história já é bem conhecida.

Na década de 70, o grupo Palmares, de Porto Alegre, resgata a história do quilombo incrustado na Serra da Barriga. Zumbi nessa época sobrevivia no imaginário coletivo da população afro-brasileira, especialmente por causa do trabalho das entidades que sempre pontuaram a história do povo negro neste país.

De lá para cá, muita água rolou debaixo da ponte. Zumbi tornou-se herói nacional, uma política de ação afirmativa vem sendo posta em prática, com resultados como as cotas; mas, sobretudo, vem sendo feito um esforço gigantesco no sentido de afirmar a cidadania. Há muita produção artística e cultural afro nas áreas musical, literária, de dança, no artesanato etc. Há um sentimento de resgate e valorização estética expresso em roupas, cabelos, atitudes...

Mas um dos aspectos que sempre esteve presente na fala do poeta Oliveira Silveira, do grupo Palmares, é o aspecto coletivo da luta palmarina, isto é, a necessidade de que as conquistas nessa luta privilegiem o todo, com base no fato de que a discriminação não se faz apenas contra cada indivíduo isoladamente, mas contra todo um povo. Zumbi, um indivíduo, encarna essa carência da imagem de um herói, mas heróis somos todos nós sobreviventes do dia-a-dia, e que temos de estar alertas, sem esquecer nosso patrimônio comum, os elos que nos irmanam.

Que as gerações de agora e do futuro possam beber desse axé do 20 de novembro.

Hip-Hop Santa Marta dá um Viva a Zumbi, à Zulu Nation e ao Hip-Hop...


Idealizado pelo rapper “Marcelo Elcy”, sob o intuito de levar ao Morro Santa Marta (Botafogo), sua comunidade de origem, uma melhor compreensão sobre o que vinha a ser o “Dia da Consciência Negra” por meio da linguagem facilitada do Hip-Hop, o evento “Viva Zumbi”, foi realizado em duas edições consecutivas (1998 – 1999). É importante ressaltar que nesta época, com o apoio frontal de artistas renomados como é caso do ativista Marcelo Yuka, a produtora de eventos Elza Cohen e o rapper Marcelo D2, o Viva Zumbi entrou em uma espécie de entressafra devido a problemas estruturais, até ser ressuscitado pelo rapper “Fiell”, quando este, compreendendo sua real importância, o incorporou a outro evento, o “Hip-Hop Santa Marta”, iniciado em 2007...

Dessa vez o Hip-Hop Santa Marta edição de Novembro um “Q” a mais em sua programação, ou melhor, dois “Qs”: Trata-se não só da comemoração à Semana da Consciência Negra, como também ao Aniversário do Movimento Hip-Hop e da Universal Zulu Nation – organização de onde o Movimento Cultura Hip-Hop nascera.

Por falta de recursos para a realização do evento que oficialmente teria de acontecer no dia 12 de novembro, data em que mundialmente se comemora a existência da UZN e do próprio Hip-Hop, a Zulu Nation Rio de Janeiro, subsede da Zulu Nation Brasil, em parceria com a organização do Hip-Hop Santa Marta, fará em um único evento o ato solene correspondente.

Portanto, neste domingo, dia 25 de novembro, a partir das 18h, acontecerá o “Hip-Hop – Especial Viva Zumbi”, em comemoração à Zumbi dos Palmares e aos Aniversários da Universal Zulu Nation e do Movimento Cultural Hip-Hop...    

A “LUB – Liga Urbana de Basquete”, dará sua contribuição promovendo um workshop de Streetball junto às crianças da comunidade, enquanto o “GBCR – Grupo de Break Consciente da Rocinha” dá prosseguimento com a Dança Urbana para o mesmo público. 
  
Presenças mais do que confirmadas de “Don Negralla” (Família Nois por Nois), “Hibrido DC” (Zulu Nation RJ), “Fiell” (Visão da Favela), “Mr Zoy”, entre outros.

Nos pick-ups, o coletivo de DJs “Eletrobase”, além do “DJ Claysoul D’Jesus” (Zulu Nation RJ/ Soul Balanço) prometem esquentar a quadra com o melhor do Hip-Hop e da Cultura Black.

Reúna teu Povo em Quilombo e venha comemorar em grande estilo um evento que é um presente a todos os descendentes da nossa Mãe África no Brasil, sob as bênçãos de Afrika Bambaataa!  

Paz e Respeito!

DJ "Zulu" TR.

Afroeducação Convida...



Zulu Belém mandou notícias...


domingo, novembro 18, 2012

ESOPO - O AFRICANO CONTADOR DE FÁBULAS...


Você já ouviu falar ou leu: A Raposa e as Uvas; A Cigarra e a Formiga; A Tartaruga e a Lebre; O Vento Norte e o Sol; O Menino que gritava Lobo; O leão e o Rato; O Asno e a Cachorrinha; A Panela de Barro e a de Cobre; O velho e a Mosca, A Galinha dos ovos de ouro e outras dezenas de fábulas escritas por Esopo.
Esopo foi oriundo de qual nação? Ou uma personagem fictícia grega que relatou as diversas formas de ensinamentos morais através de fábulas? Quem foi Esopo? Qual era a sua cor epitelial e de onde vêm os ensinamentos?

Leia todo o artigo no blogger do BAYAH:
http://cnncba.blogspot.com.br/2012/11/esopo-o-africano-contador-de-fabulas.html

Zulu Nation N.Y. manda notícias...


LAB Poetry Slam - oficina da h'oralidade poética SLAM...


Ministrada por Feijah'N, a.k.a Multimídia, músico e produtor, pesquisador, e ‘slammer’ pioneiro da Poesia Slam Brasil. Ele também ministra oficinas poetry slam em escolas, no Projeto Sociocultural Bandeirantes Já!, e na Cia. Inspiração de Teatro.
 
- “A poesia urbana slam vem crescendo desde o seu inicio na década de 80 em Chicago, EUA. Agora o Slam Poetry é o principal movimento poético dos últimos tempos. E vai tomar conta do Território do Brasil”!

- “Venha também fazer parte dessa história, participando da oficina poetry slam no LAB (Laboratório de Inovação Multimídia), com a parceria da produtora TDG –TeorDoGroove, no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, Centro do Rio de Janeiro.

O que vai rolar na oficina abrange:
- Orientação com pesquisa;
- Detect’ação da palavra poética;
- Desdobramento da palavra escrita em h'oralidade de desconstrução e construção;
- Repaginação histórica da oralidade brasileira;
- Criação de equipe(s) slammer(s);
- Mobilização e criação de Nova Platéia com conteúdo de engajamento e performances de slammers e Evento Combate no final do Curso;
- Certificado de participação!



Inscrições: GRÁTIS
Endereço: Rua Benedicto Hipólito, 125 – Centro (em frente ao Terreirão do Samba)
Local: Centro de Artes Calouste Gulbenkian

Contatos:
021- 9196-8712

Coordenação Geral: IMAGINE & LAB
Realização: TDG - TeorDoGroove
Patrocínio: SEC (Secretaria de Cultura)

O Floripa vai tremer em nome de Jesus...


quarta-feira, novembro 14, 2012

Mensagem de Congratulação do COMDEDINE - Rio à Zulu Nation Brasil...

Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro da Cidade do Rio de Janeiro

COMPANHEIROS E COMPANHEIRAS DA ZULU NATION,





Com grande satisfação vimos cumprimentá-los pela passagem do Dia do Hip Hop, ocorrida neste dia12 de novembro, ao tempo em que formulamos os melhores votos de que essa conceituada Organização continue a atuar como importante baluarte na luta pela construção de uma sociedade em que haja lugar para todos, sem qualquer preconceito, discriminação ou segregação que degrade a dignidade humana. E, sobretudo, prossigam propagando com vigor as múltiplas formas e o valioso conteúdo da nossa  AFRODIÁSPORA.




Conselheira Dulce Mendes de Vasconcellos
Presidenta




COMDEDINE
Endereço: Rua Afonso Cavalcanti 455 sala 651 – Cidade Nova 
CEP: 20211-110 - RJ 
Telefone: 21 2976-3178







domingo, novembro 11, 2012

O Pai de um Movimento Cultural chamado Hip-Hop...


1973..., EUA, Bronx River Projects...
                                           
Em meio à violência desenfreada das gangues de rua por território para a promoção da venda de drogas, “Kevin Donovan”, era líder da “Black Spades”, creditada como a mais perigosa de todas, decide dar um basta às mortes em seu bairro, após a morte de um membro muito querido de sua turma. Ele tinha apenas 16 anos de idade. Mas, essa decisão não partiu de uma hora para outra, devido à perda de um membro de sua gangue, pois, pela ordem natural dos fatos, a lógica seria um revide sangrento à gangue rival...

Mesmo integrado à Black Spades, o jovem Donovan, além de estar cursando o nível médio, era um privilegiado, já que sua mãe e tio eram ativitas do movimento pelos direitos civis, sendo nutrido durante a infância pelos debates promovidos por organizações libertárias, isto sem falar do extenso acervo de livros e informações contidos em sua casa graças aos seus tutores. Deste modo, apesar de estar exposto ao trágico cenário de caos do bairro, Kevin Donovan nunca se esquecera destes ensinamentos e, ao assistir no cinema o clássico de Cy Endfield, “Zulu” (1964) – que traz a história real de cerca de uma centena de soldados britânicos, que enfrentaram 4000 dos mais poderosos guerreiros das nações Zulus, para defender Rorkes Drift, em 1879 –este jovem despertou em seu íntimo o desejo de fazer algo para modificar positivamente o Bronx. 
 Foi então que, ao conquistar o primeiro lugar no concurso de redação da escola, que o premiou com uma viagem à África, Kevin Donovan teve a oportunidade de conhecer de perto algumas comunidades e suas formas de organização baseadas na solidariedade e no respeito ao próximo. Ao retornar deste importante passeio, ele decide se batizar em homenagem ao continente que visitara com nome “Afrika”, adicionando como segundo nome “Bhambatha”, do chefe zulu Bambatha kaMancinza – responsável por liderar uma resistência armada contra as práticas desleais econômicas provocadas pela Europa no início do século 20 na África do Sul, sendo visto como o precursor do movimento antiapartheid no país – e forma inicialmente a  “Bronx River Organization”, utilizada para reabilitar os membros da Black Spades. Com a introdução das “Block Parties” (festas de rua), a grande novidade trazida à vizinhança pelo DJ jamaicano “Kool Herc”, apoiada pelo parceiro “Kool DJ Dee”, Afrika Bambaataa percebe que as pessoas de bem passaram a frequentar novamente as ruas e que os muitos talentos existentes no gueto (grafiteiros, dançarinos e improvisadores de rimas) se concentravam nessas reuniões populares. Surge então o desejo de se trabalhar festas da mesma temática, só que adotando o termo “Hip-Hop” – expressão muito comum entre os jovens da época, popularizado pelos MCs em suas rimas improvisadas e por profissionais como o “DJ Hollywood”, em sua série de brados durante os sets de mixagens para entreter o público. Bambaataa percebe também que teria de criar algo ainda maior que a Bronx River Organization para alcançar outras gangues e reabilitá-las pela pacificação plena dos guetos nova-iorquinos. Naquele mesmo período muitos DJs dão suas contribuições para o engrandecimento deste trabalho, como foi o caso do DJ Grand "Master" Flash, que juntamente com Bambaataa e Herc divulgaram esta grande iniciativa pelos quatro cantos do Bronx... 

Bambatha kaMancinza à direita

Eis que surge então em 12 de novembro de 1973 a “Universal Zulu Nation”, organização não governamental que tem como lema “Paz, Unidade, Amor e Diversão (com responsabilidade)”.  Estabelecendo sua sede no endereço 1520 da Sedgwick Avenue, onde funcionava a Escola Secundária Adlai Stevenson – diga-se de passagem, imóvel adquirido pela família de Kool Herc –, Bambaataa inicia um trabalho mais abrangente para o resgate dos ex-membros de gangues utilizando os elementos culturais originários da vizinhança, a fim de que estes jovens não mais retornem às drogas e à violência das ruas. Mas nem tudo foi tão fácil como aparentava ser...


Afrika Bambaataa, Grand Master Flash e Kool Herc: a Trindade Divina do Hip-Hop

Block Party de Kool Herc (Equipe Herculords) em um boulevard no Bronx...

1974..., EUA, Bronx River Projects..., Mês de Novembro...

Era inverno e muitos ex-membros estão sem dinheiro. O único jeito para muitos é apelar novamente para a vida do crime...

Preocupado com este lamentável fato, Bambaataa propôs uma reunião com estes jovens, com o intuito de que se fosse gerado com seus talentos uma política de autossustentabilidade, a fim de o crime e as drogas se tornassem coisas do passado. Sendo assim, aproveitando o termo mais comum entre os jovens do gueto, em 12 de novembro de 1974 Afrika Bambaataa declara fundado o “Movimento Cultural Hip-Hop”, com base nos ensinamentos pregados pela Universal Zulu Nation: “Conhecimento, Sabedoria, Compreensão, Liberdade, Justiça, Igualdade, Paz, União, Amor, Diversão (com Responsabilidade), Trabalho, Fé e as maravilhas de Deus”. O termo que outrora se traduzia ao pé da letra “Hip” (quadril) “Hop” (saltar) dando sentido a uma simples dança, desencadeou a ideia de não se permanecer ancorado no mesmo lugar, dando motivação ao ser humano de sair do ostracismo em busca dos seus objetivos, ou seja, movimentar-se sempre! 
Universal Zulu Nation Hoje...

Atualmente a Universal Zulu Nation está representada em quase todo o globo, inclusive aqui no Brasil, onde nosso Ministro-chefe, “King Nino Brown”, em 1994 fundou a “Zulu Nation Brasil”, com sua sede no município de Diadema, na Região do Grande ABC de São Paulo e afiliações em vários estados brasileiros como Bahia, Rio de Janeiro, Pará, Ceará e até em Portugal e no Uruguai mais recentemente. 

Afrika Bambaataa e King Nino Brown

Em todo o mundo a Universal Zulu Nation tem como compromisso pregar a boa palavra do Hip-Hop, organizando muitos shows e arrecadando fundos para campanhas Antiapartheid, visando uma sociedade mais justa e acessível a todas as raças. =E importante destacar ainda que, em 2010, Afrika Bambaataa fora indicado ao Prêmio Nobel da Paz por pacificar por quase duas décadas o bairro do Bronx através da proposta pregada pelo Hip-Hop...

Infelizmente, devido à falta de Conhecimento a respeito da Cultura Hip-Hop, muitos de nossos jovens, em todo o mundo, cometem o erro em pensar que, atividades como a dependência de drogas em geral, portar armas ou frequentar boates de nudismo, são “Hip-Hop”. Assim, o Hip-Hop tem sido retratado negativamente por muitos artistas que fazem “Rap”. Esta negatividade é normalmente instigada e promovida pela indústria fonográfica e por várias outras entidades, que exploram nossa Cultura (hip-hop) à custa do estado de consciência da juventude e da moralidade. Deste modo, a “Universal Zulu Nation”, legitimada como a primeira organização de Hip-Hop do mundo, nos ensina que há uma diferença entre manifestar-se livremente a respeito da negatividade (ativismo) e promover isto como desejável estilo de vida. Expressões como “gangstas, pimps, husthers, niggas, spics e playas”, entre outras palavras, que, uma vez foram utilizadas nos EUA contra o crescimento do verdadeiro Hip-Hop, hoje fazem parte do nosso vocabulário diário em todos os cantos do planeta, inclusive aqui no Brasil. 

É importante que se deixe claro, que, a intenção da UZN perante as demais organizações de Hip-Hop é dar suporte de Conhecimento (5º Elemento do Hip-Hop) entre outros atributos logísticos, para que o Hip-Hop possa ser compreendido em sua forma original e difundido com o devido respeito a Deus (acima de tudo), à família, às culturas e costumes locais e à sociedade na qual se vive...

Vida Longa à Universal Zulu Nation!

Vida Longa à Afrika Bambaataa!

Vida Longa à King Nino Brown!

Que Deus abençoe os Guerreiros Zulus de todo o Planeta Terra!

Paz e Respeito eternos a todos os irmãos Hip-Hoppers!


DJ “Zulu” TR.

Saiba mais...

www.zulunation.com