domingo, fevereiro 12, 2012

Toni C. – Um ativista a frente de seu tempo...


Para mim, foi uma grande honra entrevistar Toni C., um dos grandes vanguardistas do Hip-Hop Nacional, responsável por trazer a público grandes obras reflexivas como o documentário “È Tudo Nosso!”, lançado em outubro de 2007 e a série literária “Hip-Hop a Lápis” (até o momento em duas edições) –  retorna agora às prateleiras das livrarias e bibliotecas comunitárias com seu mais novo filho: “O Hip-Hop está Morto! – A História do Hip-Hop no Brasil”... Pasme caro internauta, amante da Cultura Urbana mais contagiante do planeta...! Escritor, Documentarista e Coordenador do Ponto de Cultura Hip-Hop a Lápis, e agraciado com o com o prêmio Tuxuá 2010 – sendo o único representante do Hip-Hop até então a compor a lista dos 50 mais influentes da cultura brasileira –, Toni C. está entre os maiores pensadores-ativistas do nosso Movimento, assumindo o perfil peculiar de “provocador de reações” por meio de seus trabalhos em prol do mover popular por meio do Hip-Hop...

DJ TR.

DJ TR – O Hip-Hop está Morto...! O rapper americano NaS uma vez fez essa afirmação em música... Você a faz em livro... O que o levou a ter essa percepção sobre nosso Movimento?!
Toni C. – Eu não posso falar pelo NaS, não me baseio na música dele, nem conheço a tradução. Também não afirmei isso. É o título de meu novo livro, um romance. Falo nesse livro da história do Hip-Hop e das tentativas de extermínio de nossa Cultura. 

DJ TR – O Hip-Hop está Morto...! O rapper americano NaS uma vez fez essa afirmação em música... Você a faz em livro... O que o levou a ter essa percepção sobre nosso Movimento?!
Toni C. – Eu não posso falar pelo NaS, não me baseio na música dele, nem conheço a tradução. Também não afirmei isso. É o título de meu novo livro, um romance. Falo nesse livro da história do Hip-Hop e das tentativas de extermínio de nossa Cultura.



DJ TR – Será que o Movimento também não possui sua parcela de culpa...?!
Toni C. – Cara, eu prefiro não condenar o oprimido. Existe relaxo, esculacho (como se diz no RJ) e acomodação do nosso lado também. Mas é resultado das ações de poderosos. Uma das coisas mais difíceis para nosso povo é identificar quem são os verdadeiros inimigos.
DJ TR – Há alguns anos atrás, muito pouco se lia em nosso Movimento... Hoje, a cada dia surgem mais escritores e irmãos dispostos à leitura... A que você atribui a esse crescimento?!
Toni C. – Sua pergunta já tem a resposta. Apesar de haver exceções, há alguns anos não se tinha registro de nossas coisas. Nos negam até a nossa história, aí foi necessário nós mesmos assumir esse papel de contá-la nas letras das músicas, em documentários e com nossa literaRUA.

DJ TR – LiteraRUA... Foi bom você ter tocado nesse assunto... Poderia falar um pouco sobre isso?
Toni C. – Ué estamos falando... (risos)... É a literatura que brota das ruas, s m pedir alvará para grandes instituições de ensino nem pra norma culta. Revela os invisíveis nas duas pontas do lápis. É também um site www.literaRUA.com.br a primeira livraria virtual especializada nessas publicações.

DJ TR – Mais algum projeto engatilhado ainda para esse ano? 
Toni C. – Um portal especializado em literatura periférica, os lançamentos do livro “O Hip-Hop Está Morto!”, que inicia em março, atuação militante na Nação Hip-Hop Brasil, sobreviver nesse mundão louco... Isso não basta? O pior é que não, para quem propõe transformação. Estamos montando as BioblioRUA, bibliotecas especializadas na nossa literatura. A primeira a ser inaugurada será em Chapecó-SC.

DJ TR – Um conselho para nosso irmão recém-chegado à Família Hip-Hop... 
Toni C. – Se o cara é recém-chegado no Movimento, já estamos ganhando! Vejo poucos recém-chegados, esse é um grande problema nosso. Não renovamos público, estamos envelhecendo e deixando uma geração órfão de Cultura Libertária. Se pudesse dizer algo para novos ou velhos seria: “Conhecimento é fundamental”! Agora, arte se faz com dois ingredientes básicos: Razão e Emoção. Digo isso TR, não por ser dono da verdade, é que às vezes sinto a falta de um, ou de outro e por vezes dos dois em nossas ações.  

DJ TR – Me dei por satisfeito irmão! Você gostaria de acrescentar algo mais na nossa entrevista?! 
Toni C. – Agradeço a troca de idéia. Obrigado pela oportunidade de poder falar desse meu novo livro, cultura e poder. Para quem quiser conhecer melhor e adquirir “O Hip-Hop Está Morto! – A História do Hip-Hop no Brasil” é só acessar www.literaRUA.com.br e lá encontrará este e outros títulos.


sábado, fevereiro 11, 2012

Zulu Tiquinho trabalhando pela preservação da Cultura com seu traço “Wild Style”...


Militando no Hip-Hop desde 1993, desde 2003 ele é Zulu e domina as artes de B. boy e Grafiteiro...

Natural da cidade do Guarujá – SP, se criou na favela de Padre Donizete e há 12 anos realiza trabalhos sociais importantes na região, dentre esses os eventos anuais  “Mostra de Graffiti” e “Natal do Hip-Hop”, onde através deste promove a arrecadação de brinquedos para as crianças pobres, além de ministrar aulas de B. boying e Graffiti...

Este é o “Zulu Tiquinho”, um irmão que consegue fazer do pouco algo gigantesco na vida de quem não possui nenhuma estrutura!!!

Que Deus o abençoe irmão Zulu!

Paz e Respeito!













Saiba mais:

DJ “Zulu” TR.

sexta-feira, fevereiro 10, 2012

África-Brasil - Exposição Abdias Nascimento

“Cultne”, com imagens e edição de Filó Filho, registrou a exposição e o lançamento do livro que homenageou a arte e a cultura afro-brasileira. Abdias Nascimento, figura central da Exposição "África-Brasil, Ancestralidade e Expressões Contemporâneas", pode ser visto na Mostra que reúne trabalhos de Abdias Nascimento e de mais quatro artistas brasileiros, entre eles o nosso entrevistado, o design gráfico carioca Luis Carlos Gä... http://www.cultne.com.br/video.php?id_video=768

Exposição “Novos Olhares, Novos Horizontes”...

A Nami Rede Feminista Lançará no dia 10 de fevereiro a Exposição “Nami Graffiti – Novos Olhares, Novos Horizontes” com o pessoal do Interferência Sistema de Somf azendo a Festa!


Quando: De 10 a 15 de fevereiro 
Festa aberta ao público dia 10 de fevereiro a partir das 18hrs.

Aonde: Centro Cultural Heloneida Studart no Conselho Estadual de Direitos da Mulher – CEDIM
Rua Camerino, 51, Centro, Rio de Janeiro

O que: Exposição de pinturas, desenhos, fotografias, murais grafitados e performances.
Com: Alunas formandas Oficina Rede Nami + Professores Convidados (Anarkia, Toz, Marcelo Jou , Tinho, Tikka e Binho Ribeiro)

Informações: redenami@gmail.com, (21) 7759-5550, Kitty

O Território Mental de Zulu Evandro...

Ele é coordenador do NETCCON – Núcleo de Estudos Transdisciplinares de Comunicação e Consciência ECO/ UFRJ, membro do grupo de supervisores de pesquisas de pós-doutorado do PACC – Programa Avançado de Cultura Contemporânea FCC/ UFRJ e vice-coordenador do GT Comunicación y Estudios Socioculturales da Asociación Latinoamericana de Investigadores de la Comunicación.

É o criador da “Perspectiva Psicopolítica”, tipo de estudo onde se tem o avançar na Economia Política e nos Estudos Culturais, sob a metodologia da Gestão da Mente. É também consultor de organizações e atende em seu consultório particular pessoas para terapia e para coaching de vida e carreira, a partir do conceito “Território Mental”, que desenvolvera.

Dentre alguns cursos criados e mantidos por ele na UFRJ, o principal, segundo o próprio, é o “Curso JPPS-Jornalismo de Políticas Públicas Sociais”, em convênio com a ANDI, desde 2007/1.

Recém-batizado a membro zulu da afiliação Rio de Janeiro, ele se propõe à colaboração da busca incansável pelas razões do “5º Elemento” e sua difusão a todos os seres humanos, independente de credo, cor, raça e posição social.

Este é o “Prof. Evandro Vieira Ouriques”, um homem que não mede esforços para explorar os campos da mente humana, compartilhando suas descobertas com todos os seres pensantes.

Conheça um pouco mais de seu rico trabalho, por meio de uma entrevista imperdível com a Revista Eletrônica “PontoCom”... http://www.revistapontocom.org.br/destaques/territorio-mental-a-chave-do-ser-humano

DJ "Zulu" TR.

sábado, fevereiro 04, 2012

Vem aí 4º Festival Olho da Rua hip-hop pra todos...

Fonte:  Rede Bom Dia.


Começa nesta segunda-feira (06) a 4ª Edição do Festival Olho da Rua, de Hip-hop  e o Duelo de Titãs 2012. O hip hop é uma expressão artística que mistura ritmos, sons, cores, letras e movimento e ainda promove uma difusão dessas linguagens para todos os públicos.
O Festival vai até 12 de fevereiro, traz nesta edição duas novidades, e a primeira delas é internacional: o DJ Ben, da França, que será convidado especial do evento, promovendo uma oficina no dia 10 e discotecando no Duelo de Titãs no dia 11. É a primeira vez que DJ Ben vem ao Brasil e, além de tocar para b-boys e b-girls (nome dado aos participantes dessa dança), é também produtor. “Ele é uma unanimidade entre os DJs. Produz e cria muitas batidas instrumentais, além de tocar nas competições”, explica a coordenadora do Festival, Ana Paula Ribeiro.
A outra novidade é nacional: pela primeira vez, uma garota participará do Duelo de Titãs. A b-girl Fabigirl, que é conhecida até mesmo fora do país, virá de Brasília (DF) e competirá de igual para igual com todos os outros 13 competidores.
 
Difusão de culturas

Um dos grandes focos do Festival Olho da Rua é a difusão cultural para todos os segmentos sociais. Dessa maneira, um dos destaques da edição 2012 do Festival fica por conta das apresentações e oficinas que serão realizadas em instituições de assistência social de São José do Rio Preto.
As apresentações começam já no dia 6, às 14h, no Lar São Vicente, com Luciano Calixto (HH Free Style); seguem com a apresentação de Danilo (House Dance) no Alarme, dia 7, às 15h; novamente com Luciano Calixto, na Amicc, dia 8, às 15h30; e terminam com apresentação de Ricka, que fará uma demonstração de breaking a todos na Fundação Casa (antiga Febem), no dia 9, às 14h.
No dia 10, o DJ Ben (França) ministrará uma oficina de discotecagem hip-hop na Casa de Cultura, a partir das 19h30, e, no dia 12, no encerramento do evento, o b-boy Klécio fará uma oficina de breaking, a partir das 14h, no Júpiter Olímpico. Para participar das oficinas, que são gratuitas, basta apresentar-se no local com 30 minutos de antecedência.
 
Duelo de Titãs

A edição de 2012 do Duelo de Titãs terá 14 competidores e quatro jurados, vindos de todas as partes do país: São Paulo, Paraná, Distrito Federal e até mesmo do Maranhão. O destaque fica por conta de Fabigirl, a primeira garota a participar da competição, e dos dois participantes da cidade: Buxexa e Capoeira.

Segundo Ana Paula, organizadora do evento, “os competidores e jurados são os melhores do Brasil, que se destacaram na dança hip-hop e têm reconhecido renome – inclusive internacional”.

Os enfrentamentos vão acontecer em disputas eliminatórias, e o grande vencedor terá que enfrentar o atual Titã: Luan, de Bauru, da equipe Funk Fockers, que defenderá o título. Todos esses embates terão análise dos jurados Casper, Kokada (ambos de São Paulo), Muxibinha (Distrito Federal) e um jurado surpresa. “Será um jurado de nome importante para a história do Duelo de Titãs, que só na hora será revelado”, conta Ana Paula.
A discotecagem da competição ficará por conta dos MCs Pump e Rooney, de São Paulo, e os DJs Ben (França), Alan (São Paulo) e Basim (São José do Rio Preto). Nos intervalos das batalhas, haverá mini-apresentações (pocket shows) do Grupo Divas (Assis – SP) e do Grupo Seeking (São José do Rio Preto) e uma Batalha Show entre as b-girls Nathana, de Uberlândia (MG), e PJUMP, de São José do Rio Preto.
Realização
O 4º Festival Olho da Rua e o Duelo de Titãs 2012 são realizados pela Faperp (Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de São José do Rio Preto), em parceria com a Secretaria Municipal dos Direitos e Políticas para Mulheres, Pessoas com Deficiência, Raça e Etnia.
Saiba mais: 

Literatura, Pão e Poesia — Sérgio Vaz lança seu mais novo livro no Rio...


Prezados, Prezadas,

Na próxima terça-feira, dia 7 de fevereiro, as 19 horas, Sérgio Vaz – escritor e agitador cultural, criador do Sarau da Cooperifa – lançará seu mais novo livro, Literatura, Pão e Poesia, na Livraria Folha Seca (Rua do Ouvidor, 37 – Centro).

Se você recebeu esta mensagem é porque sua presença é imprescindível, necessária e inadiável.

Sobre o autor e seu livro, a jornalista Eliane Brum escreve que “Sérgio Vaz é, ele mesmo, o criador daquela que talvez seja a maior poesia viva deste país — o sarau da Cooperifa, na Zona Sul de São Paulo. Mas, neste livro, o poeta se faz cronista para nos trazer em prosa as notícias de um mundo em que ‘os pedreiros constroem casas (alheias) como se fossem (seus próprios) lares’ — e as domésticas ‘não admitem ser domesticadas”.

Então venha bater um papo com Sérgio Vaz, ouvir e ler boa poesia, curtir o Choro que rolará no bar ao lado, compartilhar do espírito cultural e carioca em torno da Folha da Seca e celebrar a vida como achar melhor.

Dia 07 de fevereiro
19 horas
Livraria FOLHA SECA (Rua do Ouvidor, 37 – Centro - Fone: 2507-7175. Próximo ao Arco do Teles, Praça XV, Bolsa de Valores)
APOIO: TOCA DO BAIACU




-- 
Abs,

Ecio Salles
Secretaria de Estado de Cultura - RJ
Superintendência de Cultura e Sociedade   
Coordenadoria de Cultura e Educação
21-2333 1404
www.twitter.com/eciosalles

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE DIFUSÃO E INTERCÂMBIOS CULTURAIS...


Inscrições
O período para o envio de inscrições será de 9 de janeiro, a partir de 12h (meio-dia), até 6 de fevereiro, às 23h59.
 Edital: Seleção Pública de Difusão e Intercâmbios Culturais

Descrição: 

Esta seleção foi instituída com o objetivo de promover a difusão da cultura fluminense e o intercâmbio cultural entre regiões do estado do Rio de Janeiro e com outras regiões do país e do mundo, nas seguintes áreas: artesanato, design, arquitetura, restauro, patrimônio cultural material e imaterial, cultura popular, gastronomia, jogos, moda, mercado editorial, publicidade, rádio, TV, software aplicado à economia criativa, turismo, literatura, artes cênicas, música, audiovisual, artes visuais, artes integradas, gestão e produção cultural.

O apoio consiste na concessão de passagens aéreas ou rodoviárias e reservas de hospedagem para grupos, artistas e técnicos convidados a participar de eventos culturais, promovidos por instituições brasileiras ou estrangeiras, de reconhecido mérito, com a finalidade de: (a) apresentação de trabalho próprio; (b) residência artística; (c) cursos de capacitação na área cultural.

Cada proponente poderá inscrever mais de um projeto, de qualquer uma das finalidades mas só será contemplado com até duas propostas considerando todos os períodos de inscrição da chamada e ambas as categorias de inscrição (individual e grupo)

A inscrição é gratuita e poderá ser realizada apenas por pessoas físicas atuantes na área cultural há pelo menos dois anos e residentes no Estado do Rio de Janeiro, através do preenchimento dos formulários de inscrição disponíveis no sítio da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro.



Em breve:
O período de inscrições para viagens em junho será de 7 de fevereiro até 6 de março. Para conferir o nosso cronograma completo,  clique aqui.
MAIS INFORMAÇÕESCONFIRA AQUI O EDITAL
Dúvidas
(21) 2333-4106
(21) 2333-1398