terça-feira, outubro 02, 2012

Zulu Evandro tomará posse como Acadêmico Correspondente da Academia Galega da Língua Portuguesa...


Gente tão querida que fortalece o NETCCON, e com a qual eu tanto aprendo,

compartilho que tomarei posse no próximo dia 5, em Ourense, Galiza, como Acadêmico Correspondente da Academia Galega da Língua Portuguesa. 

Seremos oito os Acadêmicos Correspondentes. Do Brasil o Professor Evanildo Bechara e eu; e, dentre os colegas de Portugal, Adriano José Alves Moreira, presidente da Academia das Ciências de Lisboa; Chrys Chrystello, presidente da Associação Internacional dos Colóquios da Lusofonia; Carlos António Alves dos Reis, ex-reitor da Universidade Aberta; Eugênio Anacoreta Correia, presidente do Observatório da Língua Portuguesa; e José Luís Fontenla Rodrigues, presidente das Irmandades da Fala da Galiza e Portugal, que tomará posse como Acadêmico de Honra.

Como se sabe, a língua portuguesa não tem origem em Portugal mas na velha Gallaecia, fato de extrema importância estratégica para a Lusofonia e que é psico-politicamente ocultado num dos casos mais extremos de substituição linguístico-cultural do mundo, vale dizer de desrespeito sistemático ao vigor da Comunicação em sua face Intercultural, só possível através da superação do epistemocídio.

Preparei dois artigos para esta ocasião:


1. Psicopolítica e Emancipação Intercultural: a questão Galiza, Brasil e Lusofonia
    que será publicado no Vol. 5 do Boletim da Academia Galega da Língua Portuguesa.

RESUMO
O autor trata da perspectiva psico-política como a melhor convergência para a ação emancipatória e examina a questão estratégica que envolve Galiza, Brasil e Lusofonia: Argumenta que o desafio da Galiza é um complexo e sistêmico efeito do estado mental crescimento ilimitado, e é portanto conexo ao desafio do Brasil e da Lusofonia; e também do mundo. Mostra como este estado mental é construído com operações psicológicas para gerar efeitos políticos (como fazem a dupla pan-óptica da concentração de mídia aliada à da vigilância digital, fortalecida pela neurociência para fins políticos e mercadológicos e alavancada pela guerra psicológica) e incluem para isto a cartilha do sujeito do auto-controle e dos balanços anuais. O artigo trata, então, de como fazer a apropriação emancipatória desta cartilha, que, liberta do ataque epistem-ocida inserido no primeiro de seus cincos treinamentos, permite que Galiza, Brasil e Lusofonia (reintegrados) dêem exemplo ao mundo de como emancipar a comunicação intercultural, cujo desafio sistêmico é o da capacidade não-dualista de sustentar a unidade na diversidade.
 
2. Desinsulação de Culturas: o caso dos conceitos Juventude e Riqueza nas tradições lusófona e ibero-americana
    tema de minha fala no XVIII Colóquio da Lusofonia, em cuja abertura se dará a referida posse.

RESUMO
O autor traz três idéias-chaves e as articula sob a perspectiva psico-política da comunicação e da cultura: (1)insulação, entendida como a operação psico-política (operações psicológicas para efeitos políticos) do epistemocídio; (2) juventude, entendida como o mito do herói do crescimento ilimitado; e (3) riqueza, entendida como o conjunto de bens e serviços para o qual está comprovado não existirem recursos naturais suficientes para produzi-la para todos. É assim que o artigo trata de como o sujeito do auto-controle e dos balanços anuais insula culturas organizadas pela dádiva, para as quais a Natureza é viva, e de que porque desinsular é operação epistêmica, fundada na generosidade. 


Com amor, e a alegria da gratidão, e.
Zulu Nation Rio.


Prof. Dr. Evandro Vieira Ouriques
Coordenador, NETCCON.ECO.UFRJ
Núcleo de Estudos Transdisciplinares 
de Comunicação e Consciência
Supervisor de Pesquisas de Pós-Doutorado, PACC.FCC.UFRJ
Programa Avançado de Cultura Contemporânea
Vice-Coordenador do GT Comunicación y Estudios Socioculturales, ALAIC                                                
Asociación Latinoamericana de Investigadores de la Comunicación                                  
@EvandroOuriques
skype: evandrovieiraouriques